arai

Anatel vai investigar fabricantes brasileiras que vendem tablets de má qualidade

1 post in this topic

Sempre desconfiei dessas coisas, não somente em eletro-eletrônicos, mas de tudo que depende de apresentar amostras para posterior aprovação/comercialização).

Igual esses testes feitos (de qualquer coisa) por revistas especializadas em alguma área, diferentemente de alguns órgãos que compram produtos no mercado alaeatoriamente para testá-los (exemplo: Proteste).

=================================================================================================

Anatel vai investigar fabricantes brasileiras que vendem tablets de má qualidade

65464.95561-Tablets.jpg

Com o mercado de tablets cada vez mais em evidência - ameaçando até mesmo o império dos computadores pessoais -, a dica é ficar atento ao produto que você está comprando, uma vez que a quantidade de aparelhos de má qualidade está aumentando. Agora, duas fabricantes brasileiras serão investigadas sob a acusação de que vendem equipamentos abaixo do padrão de aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Em um documento divulgado pelo jornal Folha de São Paulo, o órgão regulador especifica que abriu uma investigação contra as empresas DL e Lenoxx. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), entidade que representa as principais fabricantes de eletrônicos no país, as duas companhias não são associadas à Abinee e colocam à venda no mercado produtos que não são submetidos aos testes de homologação da Anatel.

Atualmente, a DL é a maior vendedora de tablets no Brasil, e a Lenoxx a terceira, atrás apenas da sul-coreana Samsung, que ocupa a segunda posição do ranking. No entanto, a Abinee destaca que seria impossível vender um tablet na faixa de R$ 250, preço médio dos aparelhos da DL e Lenoxx, e manter a qualidade certificada dos produtos homologados pela Anatel, já que a média do mercado nessa categoria de produto é de R$ 400.

Para comprovar a fraude, os tablets I-Style, da DL, e TB-55, da Lenoxx, que hoje são comercializados ilegalmente em território nacional, passaram por uma bateria de testes em laboratórios credenciados pela agência, mas não foram aprovados. De acordo com os experimentos, por não possuírem o selo da Anatel, esses gadgets sofrem interferências e oferecem risco de superaquecimento, podendo causar acidentes.

Como as fabricantes escapam da Anatel

Todo produto eletrônico precisa receber autorização da Anatel antes de chegar ao consumidor. Para isso, as companhias devem enviar uma amostra do dispositivo final. O item é avaliado em diversos testes e, se for reprovado em algum deles, é descartado pela agência e devolvido ao fabricante.

65460.95554-Tablets.png

(Foto: Divulgação/Folhapress)

Segundo o documento obtido pela Folha, tanto a DL quanto a Lenoxx produzem tablets com componentes de baixa qualidade e vendidos a preços muito menores dos que são praticados por outras empresas do setor. Acontece que, para a montagem dos aparelhos que são enviados à agência, as companhias utilizariam componentes mais caros e de melhor qualidade. Ou seja: as duas entidades estariam vendendo para os usuários tablets piores que aqueles enviados para homologação.

A Abinee afirma ter obtido a informação de um de seus associados que questionou as fornecedoras chinesas sobre os baixos preços conseguidos pela DL e Lenoxx. Foi quando esse mesmo associado descobriu que só conseguiria vender seus aparelhos por um preço menor se comprasse componentes de qualidade inferior às chamadas "Golden Samples" (amostras de ouro, em português), que são 20% mais caras que outras peças. Os fornecedores chineses teriam afirmado que essas golden samples só são encomendadas (pela DL e Lenoxx) para a montagem de tablets que são enviados à certificação da Anatel.

Medidas

A agência reguladora confirmou que está investigando o caso e, se confirmada a fraude, poderá multar as duas fabricantes em R$ 3 milhões, além de suspensão ou cancelamento da licença. Contudo, a DL e a Lenoxx não estão impedidas - pelo menos por enquanto - de continuarem vendendo seus tablets no país. Ambas negaram as acusações e reafirmaram que seus produtos seguem rigorosamente as especificações determinadas pela Anatel.

Fonte : CanalTech

Share this post


Link to post
Share on other sites

               

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!


Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.


Sign In Now