A TIM não gostou de ver a Vivo promover o 4G com o termo “Plus” nos anúncios publicitários. Por isso, recorreu ao Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) e conseguiu proibir a rival de usar a palavra que significa “mais” em seu material de divulgação.

Na visão da TIM, o termo dá a entender de que se trata da evolução do 4G, lançado há poucos meses no Brasil e que ainda enfrenta a desconfiança dos consumidores. Em sua defesa, a Vivo argumenta que a palavra em inglês se refere à qualidade e cobertura do serviço e representa um nome fantasia, assim como “Max” utilizado pela Claro.

Entretanto, para o relator do caso, José Francisco Queiróz, “não parece ser correto a utilização do Plus”. Segundo ele, “não há como não entender que o 4G Plus da Vivo é uma evolução do 4G e chega a ser infantil, ou de forma mais polida, incrongruente a alegação de que o Plus não tem significado de Mais, aliado ao argumento totalmente antagônico dizendo que o Plus é o Mais da Vivo, não do 4G”.

Segundo o jornal O Globo, a Telefônica Vivo diz que vai recorrer da decisão.