O que me levou a escolher um Android para chamar de meu?

Meu primeiro contato com a mobilidade através de um aparelho Celular ocorreu quando eu com um Nokia que fazia no máximo o envio de SMS e Ligações (conhecido como “tijolão). De lá pra cá não parei mais, sendo um aparelho atrás do outro.

Com a evolução dos aparelhos e de seus sistemas operacionais, cada vez mais as funções básicas foram dando lugar para outras que hoje são primordiais para o sucesso ou não de um aparelho: Acesso a Internet, E-mail, Fotos, Redes Sociais e Aplicativos (muitos aplicativos), acompanhado de um ótimo Hardware. Essa evolução toda começou com o lançamento do Iphone e de seu sistema iOS, onde a inovação e simplicidade fizeram com que todos vissem o Celular com outros olhos, definindo-os como aparelhos inteligentes (os Smartphones).

Eu me lembro de que ao ver o Iphone pela primeira vez em reportagens fiquei louco por um, e com a demora do lançamento no Brasil, optei por pagar uma nota preta pelo aparelho que veio importado. Ao ligá-lo pela primeira vez o a empolgação e todas as suas novidades me fizeram perceber que a evolução havia chegado acompanhado de uma simplicidade absurda. Eu gostei tanto que a aquisição do Iphone fez com que em seguida eu adquirisse um Macbook e me tornasse naquela época um “Apple Boy”.

Um bom tempo se passou e o comecei a sentir falta de algumas opções que existiam em aparelho mais básicos, mas que não faziam parte do Iphone: opção recortar colar (corrigido tempos depois por uma atualização); envio e recebimento de fotos, músicas ou arquivos através do Bluetooth (era bastante constrangedor relatar para um amigo que o meu tão evoluído aparelho não era capaz de enviar um simples foto por Bluetooth).  Apesar dessas limitações, eu ainda estava satisfeito com o iOS e o que ele me proporcionava, pois naquela época nenhum outro aparelho ou sistema operacional possuía a interface e inovações do Iphone. Isso até a chegada do Android, que tinha como “Pai” o Google e como base de programação o Linux, agregado a um sistema estável e livre. Mas o seu primeiro aparelho não era lá essas coisas e não me chamou muito a atenção.

Com o passar dos tempos, vários outros fabricantes acabaram por se render ao Android e o seu Hardware foi evoluindo e ficando cada vez mais interessante. Então aconteceu o meu primeiro contato com um aparelho Android através do Motorola Milestone e confesso que fiquei impressionado pela liberdade proporcionada pelo sistema operacional, onde pude realmente sentir que como dono do aparelho e controlador do que eu posso ou não fazer com ele. Mesmo assim continuei com o Iphone como uma segunda opção, mas algo ainda me irritava muito no Android: a demora pelas atualizações e sua fragmentação. Ficar dependo da boa vontade do fabricante para liberação de uma atualização para o Android me deixava em pânico, pois no Iphone isso acontecia de maneira homogênea e ao mesmo tempo. Todo esse desgaste na espera e incerteza de uma atualização me fez vender o Milestone e tomar uma decisão: voltar imediatamente para o Iphone e seu iOS. Mas isso não foi fácil, pois eu já havia provado da liberdade que o Android me proporcionava, de suas telas cada vez maiores e personalizações, me levando de uma vez por todas a uma decisão final: eu quero um Android para chamar de meu.

Após essa decisão eu tentei dar uma segunda chance para a Motorola e optei pelo Atrix, onde fiquei algum tempo com ele. Mais uma vez o descaso falou mais alto e me fizeram desistir imediatamente da Motorola e tomar a decisão de nunca mais obter aparelhos da fabricante.

Mesmo com pouco tempo de uso do Atrix eu adquiri o Samsung Galaxy SII, onde fiquei muito satisfeito com o seu Hardware e de como o Android se comportava, mas isso não era suficiente, pois um velho e chato problema ainda fazia parte do meu dia a dia: a fragmentação e demora na liberação das atualizações do sistema operacional. Optei então por outra decisão que com certeza iria afirmar de uma vez por todas a minha opção pelo Android: quero um aparelho que tenha o Android raiz, onde as atualizações não dependam dos Fabricantes e nem de Operadoras. Baseado nessa minha decisão eu acabei por adquirir um Samsung Galaxy Nexus, aparelho esse que me deixou bastante satisfeito me tornado de uma vez por todas, um admirador do sistema operacional Android, principalmente com a evolução que a versão 4.0 apresenta.

É importante ressaltar que não existe um aparelho ou sistema operacional melhor ou pior, e sim um que se adapte ao usuário final e a suas necessidades.

E quanto a vocês, o que os levou a optarem pelo Android?

9 Comentários

Deixe uma Comentário

AndroidZ
Logo
Enable registration in settings - general