ROMs

Uma ROM é uma compilação do sistema operacional que incluí kernel do linux, uma versão do sistema operacional Android com parâmetros e configurações especificas, e todas as aplicações que acompanham essa compilação.

Custom ROMs

É habitual existirem na  web várias ROMs personalizadas, ou seja, ROMs produzidas não oficialmente para um determinado dispositivo, ou por vezes, grupo de dispositivos.

Por que usar ROMs personalizadas?

A necessidade de usar ROMs personalizadas (Custom ROMs), depende da pessoa que as usa. As vezes é por simples curiosidade da pessoa que as instala, outras vezes é para preencher uma falta na ROM original, como por exemplo, um dispositivo que oficialmente não tenha recebido atualizações para versões superiores de Android, e com uma ROM personalizada tem a oportunidade de executar essa versão no seu dispositivo, e com isto todas as vantagens e novidades que essa nova versão possa apresentar. Mas ROMs personalizadas são muito mais que isso. Permitem por exemplo modificar o sistema até o mais baixo nível, permitindo a inclusão de módulos do kernel como o suporte para outros sistemas de arquivos como o EXT4, e a inclusão do suporte para openVPN, novos codecs de audio e vídeo, etc. Estes módulos serão depois usados com a finalidade de interagir com uma aplicação ou funcionalidade a nível do sistema operacional em si.

ROMs normalmente vêm deodexed, querendo isto dizer que torna possível e acessível a modificação das várias aplicações Android, tornando assim possível, por exemplo, fazer temas personalizados para a plataforma, algo que pelo menos até à versão 2.2 de Android ainda não é suportado pelo sistema operacional nativamente. Não confundir com o uso de outras aplicações que por si permitem o uso de um tema, esta técnica de substituição dos arquivos da ROM (normalmente através do uso do Metamorph), não necessita de aplicações extra em execução para fazer uso do tema.

A lista de pontos interessantes de uma ROM personalizada conta ainda com:

  • ROM editada a partir da oficial para não fazer uso de certas aplicações, tornando-a mais “leve”
  • Possibilidade de ter uma ROM “de-branded”, ou seja, compilada a partir do código fonte Android
  • Prolongação do tempo útil de bateria
  • Kernel optimizado para fazer uso de voltagens mais baixas ou mais altas que as permitidas de origem, sendo possível ao utilizador escolher a qualquer altura entre performance / maior autonomia
  • Instalar aplicações no cartão de memória em versões do Android anteriores à 2.2

 

Este artigo faz parte da série Guia para Iniciantes Android